quarta-feira, agosto 10, 2005



Hei, minha gente!!!...God Dag!!...ontem o dia estava lindo por aqui e hoje promete novamente...apesar do nevoeiro espesso, ja da para ver o azul do ceu...
Ontem recebi cartinha do AETAT sobre o curso...tenho que apresentar comprovacao de aprovacao no teste de noruegues para estrangeiros (Språkprøven) para conseguir a vaga no curso...ainda bem que ja fiz e fui aprovada, assim hoje la vou eu "bater perna" de novo...caso nao tivesse nenhuma prova de conhecimentos em noruegues, eu teria que passar por um teste formulado pelo proprio AETAT...
Filhinhos embarcaram ontem a noite e hoje as 21:20 (horario da Noruega) estarao chegando por aqui...ai, ai, ai que saudades dos meus "pimpolhos gigantes"....
x
Hoje eu estou meio "corridinha" mas achei esse texto muito interessante e queria publicar para vcs...
x

x
Alfredo Emílio Andersen (Kristiansand 1860 - Curitiba 1935).... foi considerado o mais importante pintor estrangeiro residente no Brasil em sua época. Ele nasceu em Kristiansand, sul da Noruega, dia 3 de novembro de 1860, filho do Capitão da Marinha Mercante Tobias Andersen e de Hanna Carine Andersen.
x
Aos treze anos pintou aquela que se supõe seja a sua primeira tela, intitulada "Akt". Entre 1874 a 1877 estudou com Wilhelm Krogh, conhecido pintor na Noruega, que considerava seu pupilo um jovem de excepcional talento. Com dezoito anos mudou-se para a Dinamarca. Sua carreira, a partir de então, alcança rápida progressão, passando o artista a exercer atividades não só de pintor, como de cenógrafo e decorador. RetratosO fato de ser amante da liberdade e adepto da integração do homem à natureza aproximou-o do famoso escrito Knut Hamsun, autor de "A Fome", que também defendia os mesmo ideais. Andersen retratou o amigo em 1891, dando início, a partir de então, a uma série de retratos, segundo ele, de caráter mais subjetivo. O retrato de Hamsun fica agora na Galeria Nacional da Noruega.Em 1892 o artista voltou a empreender outra longa viagem a partir de Kristiansand, em navio capitaneado por seu pai, cuja etapa final seria Buenos Aires. Na costa brasileira, o barco aportou no porto de Cabedelo, Paraíba, local onde teve a oportunidade de pintar uma belíssima tela com a paisagem litorânea da cidade. Ao continuar a viagem para o sul, um forte temporal provocou avarias no mastro da embarcação, obrigando-o a aportar em Paranaguá.Clima de mistérioAinda hoje persiste um certo clima de mistério no fato de o artista - cujo nome já se projetava na Europa, onde deixara amigos, admiradores e familiares - ter tomado a decisão de permanecer nesse porto brasileiro, em uma terra, para ele, inteiramente estranha e de duvidosas perspectivas profissionais. Residiu o artista em Paranaguá durante cerca de dez anos, quando conheceu Anna de Oliveira, uma jovem vinte e cinco anos mais moça, descendente de índios Carijó. Do relacionamento nasceram quatro filhos. Escola de arteÉ provável que Andersen tenha se transferido para a Capital em 1902. Sabe-se que chegou a Curitiba nesse ano, e começou a dar aulas particulares de desenho e pintura. O artista desenvolveu em Curitiba intensa atividade como pintor e professor: ainda em 1902 seu atelier se transforma em uma verdadeira escola de arte, ali permanecendo em atividade até 1915. Além das aulas particulares Andersen também lecionou Desenho na Escola Alemã e no Colégio Paranaense.O envolvimento do artista com o ensino foi, sem dúvida, marcante, desde o início de sua estada em Curitiba. Vicente Machado, Presidente do Estado do Paraná, no intuito de convencer Andersen a não voltar à Noruega, chegou a prometer a criação de uma escola de arte oficial na cidade, que seria dirigida pelo mestre. E apelou para o sentimento de solidariedade do artista, afirmando que a permanência do mesmo era fundamental para ajudá-lo na educação do povo paranaense.
Cidadão HonorárioAo completar 71 anos no dia 3 de novembro de 1931, Andersen foi agraciado com o diploma de Cidadão Honorário de Curitiba pelos relevantes serviços prestados à arte do Paraná, primeiro título concedido a alguma personalidade pela Câmara Municipal. Pintou em 1932 o seu mais conhecido auto-retrato que passou a pertencer ao acervo do Museu Nacional de Belas Artes.
Faleceu em Curitiba no dia 9 de agosto de 1935 esse artista extraordinário, considerado o mais importante pintor estrangeiro residente no Brasil em sua época.A sociedade Amigos de Alfredo AndersenLogo após o falecimento de Andersen, seus amigos e admiradores organizam uma Sociedade de Amigos com finalidade de criar neste espaço onde o artista viveu, uma unidade museológica para preservação de sua obra e a continuidade de seus ideais.
Somente em 1959 o Museu é oficialmente criado passando a chamar-se Casa de Alfredo Andersen - Escola e Museu de Arte. Anos mais tarde o prédio é tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico do Estado e em 1979 passa a denominar-se Museu Alfredo Andersen. Atualmente o Museu, cumprindo sua principal função, expõe permanentemente a obra de Andersen com mostras temáticas, realiza exposições temporárias de discípulos de Andersen e artistas contemporâneos que mantém um vínculo com o Atelier de Arte. Promove o Salão e o Simpósio Paranaense de Cerâmica bienalmente.
x
Fonte: Museu Alfredo Andersen
x
x
x
x
x
Tenham um dia iluminado
e cheio paz e amor
na vida de voces!!!
x
x

Nenhum comentário: