segunda-feira, setembro 19, 2005

Cabana em Hållandsdalen...

Hei alle sammen!!...espero que todos tenham tido um otimo fim de semana...por aqui chuva que vai, chuva que vem...vento do norte soprando gelado no rosto da gente...as folhas estao ficando cada vez mais em tons de laranja e vermelho e ja comecam a se espalhar pelas ruas e calcadas....os casacos um pouco mais pesados e com forro ja estao sendo utilizados....e um gorro tb e bem-vindo para proteger os ouvidos do vento gelado....
Sabadao teve "dugnad" (mutirao) na cabana....havia algumas coisas que deveriam ser terminadas antes da chegada do inverno como forro nas paredes e degraus de acesso...cada familia participou com um pouco de mao de obra...todos pagam tb uma taxa anual para conservacao da cabana e compra de coisas que estao faltando...acho muito correto, ja que todos se utilizam da cabana varias vezes ao ano, principalmente no verao....nos decidimos por nao participarmos pois Frode havia feito muitas coisas sozinho durante o verao do ano passado....assim deixamos um pouco de servico para o resto da familia terminar...
Assim fomos a cidade para comprar um "parkdress" para o Daniel...esse e um tipo de "macacao" que todas as criancas usam nas escolinhas para se protegerem do frio e brincarem a vontade ao ar livre...e um traje grosso e de material resistente com um grande ziper...assim ele e usado em cima da roupa normal...tem um modelo de inverno tb que e mais pesado e com um forro de material felpudo que aquece bem o corpo...geralmente os adultos tb usam muito para trabalhar, pois e pratico, protege as roupas e aquecem bem....
De la fomos ao Grieg Hallen aonde estava acontecendo uma "Feira de saude alternativa e misticismo"...tinha um pouco de tudo : leitura de mao, bola de cristal, foto com aura, produtos e tratamentos alternativos de saude, mensagens de espiritos, etc...mas nao entramos pois achei o preco meio "ardido"...assim fomos comer um delicioso "kebab" ao lado do cinema...era premiere do filme "Charlie e a Fabrica de Chocolate"...assim havia muito movimento por la...um homem caracterizado como Mister Wonka distribuia chocolate para todos....la dentro do cinema podiamos experimentar frutas com chocolate derretido...uma delicia!!...tinha melao, banana, maca e pera...e tb marshmellow...esse foi o melhor de todos, muito bom mesmo!!
Andamos um pouco pela area, vendo lojas e passeando em torno do Teatro de Bergen...
Aline se mandou para Åsane com uma amiga... esta comecando com os "namoricos"... hehehe...estranho ver que os filhos da gente estao crescendo, ne!!
Domingao e dia de levantar tarde...tinha Feira de Gatos na cidade....e eu adoro gatos, ne!!...um mais lindo do que o outro...de tudo quanto e cor e tipo e tamanho...havia tb os famosos gatos das Florestas Norueguesas...imensos com pelos macios e encorpados...muito bonitos....ai que vontade de trazer todos para casa...hehehe....
Fim de tarde, bati um papo gostoso na net com minha irma e com a Deusa....maridao "pilotou" o fogao...haviamos comprado quase 2 kg de file do Brasil que estava em promocao pela metade do preco....assim, ele preparou bifes, batatas, legumes e muito molho ....hummmmm..estava bom demais...o duro e a bagunca que ele faz na cozinha...hehehehehe..
Para encerrar o domingao assistimos o "Terminal" com Tom Hanks e o "Be Cool" com John Travolta....adorei os dois...Aline e Christian deram altas gargalhadas com as cenas do filme do John Travolta, sem contar que a trilha sonora desse filme inclui nada menos que nossa inesquecivel Elis Regina e contou com a presenca em cena do Sergio Mendes que continua a fazer muito sucesso em terras americanas....
x
x
Por aqui a novidade fica por conta do nosso novo Primeiro Ministro que deu um "nao" redondinho para o super poderoso George Bush...esse ligou para parabenizar o primeiro ministro e para dizer que continuaria contando com o apoio da Noruega em manter seus soldados no Afeganistao...qual nao foi a surpresa de George Bush quando Jens Stoltenberg disse que conforme decisoes da co-ligacao vencedora, todos os soldados noruegueses seriam retirados do irak...adorei!!!....foi o maximo!!...eu ate "pagava" para ver a cara do George Bush depois dessa...hehehehe
x
x
Bem como por aqui foi a premier do filme "Charlie e a Fabrica de Chocolate" nada melhor do que falar um pouco sobre o escritor dessa historia que nunca e esquecida....filho de noruegues o jovem Roald sempre foi apaixonado pelas historias misticas contadas pela sua vovo norueguesa...
Aqui na Noruega seus livros sao muito lidos por criancas e jovens e chamam a atencao pelo seu lado mistico e as vezes ate brutal e ironico ao extremo...
x
Roald Dahl (*13.09.1916 +23.11.1990),
escritor galês, nasceu em Llandaff, País de Gales, Reino Unido. Era o filho único do segundo casamento de pais, que eram noruegueses. Sua imaginação foi muito estimulada na infância pelas estórias que sua mãe lhe contava sobre os "trolls", as míticas criaturas das lendas norueguesas.
Ficou conhecido internacionalmente como o autor do livro
Charlie e a Fábrica de Chocolate, que já mereceu duas adaptações para o cinema. A última transposição do conto para a tela foi com o filme homônimo do diretor Tim Burton, com o ator Johnny Depp no papel de Willy Wonka, que acaba de ser lançado (julho de 2005) nos cinemas brasileiros. Dahl foi novelista, principalmente de contos infantis, mas também de novelas adultas. Charlie e a Fábrica de Chocolate, o conto infantil, foi lançado em 1964 nos Estados Unidos e obteve grande sucesso nas livrarias. Isso levou o diretor Mel Stuart a filmá-lo em 1971, com adaptação para o cinema feita pelo próprio escritor. Essa primeira versão para o cinema teve Gene Wilder como o polivalente Sr. Wonka.
De sua autoria são também, entre outros, os livros "Os Gremlins", escrito em 1943, adaptado para o cinema por Chris Columbus; "James e o Pêssego Gigante","Matilda", o autobiográfico livro "Boy" e, por último, "O pároco de Nibbleswicke" (incompleto). Como curiosidade, mencione-se que um de seus livros, "The Witches" (As Bruxas), foi censurado e consta da
Lista de livros censurados.
Após sua morte em 1990, seus livros não perderam a popularidade. Somente as edições no Reino Unido já alcançaram 30 milhões de exemplares, com mais de um milhão a cada ano. Apesar de ter enfrentado diversas tragédias em sua vida pessoal, desde criança, com a prematura morte de seu pai quando ele tinha 3 anos, até o acidente de carro que deixou seu filho com danos cerebrais irreversíveis, Dahl sempre foi um ser humano dotado de muita compaixão para com as pessoas em necessidade, e ajudou financeiramente a incontáveis crianças que careciam de cuidados médicos. Depois de sua morte, sua viúva continuou a obra do marido com a Fundação Roald Dahl, que faz doações em três áreas: alfabetização, neurologia e hematologia.
x
Interessante notar como as crianças se divertem com a brutalidade das histórias de Roald Dahl. Por exemplo: o livro Pestes (The Twits), cujo título talvez fosse mais bem traduzido como Os Estúpidos - com essa conotação bem brasileira de pessoas agressivas e insuportáveis, pessoas que não possuem justamente a graça de uma criança - Pestes é a história, muito simples, de um casal de velhos horrorosos que vivem se maltratando impiedosamente e que odeiam crianças e animais.
A forma com que Dahl conta a história é direta, sem medo de chocar (aliás, sua vontade é chocar com toda a naturalidade): "A barba do sr. Peste não era macia e penteada como a de outros homens barbudos. Era toda arrepiada e espetada, como as cerdas de uma escovinha de unha. E com que freqüência vocês acham que o sr. Peste lavava aquela cara de escovinha de unha espetada dele? A resposta é NUNCA, nem mesmo aos domingos. Ele não lavava a cara há anos!"

As barbas sujas do sr. Peste fazem parte de uma técnica pessoal de inventar personagens. Dahl não estava interessado em descrever pessoas normais, dizia ele, porque "pessoas normais não são nada interessantes". As pessoas interessantes são as que inventamos, exagerando sua maldade ou sua bondade. O que as caricaturiza é exatamente o que as caracteriza e torna inesquecíveis.
A sra. Peste também não era flor que se cheirasse, e muito menos bela poderia ser considerada. Ao contrário, era feíssima. E, descrevendo-a, o autor cria uma das explicações mais singelas e geniais para a feiúra: "A sra. Peste não tinha nascido assim feia. Quando era moça, tinha até uma cara bonitinha. Mas a feiúra tinha aumentado à medida que os anos passavam. [...] Se uma pessoa só tem pensamentos desagradáveis, isso começa a aparecer na cara dela [...]. Já uma pessoa que tem pensamentos agradáveis nunca é feia de verdade, mesmo que objetivamente tenha um rosto horrível."
O casal dos Pestes pode ser visto, na verdade, como um casal de bruxos, um tipo de personagem fantástico que atrai as crianças tanto ou mais quanto as fadas e heróis. Em seu The Witches (As Bruxas), Dahl uma vez mais deixa a narrativa fluir ao sabor da fantasia sem rodeios e sem rédeas. O narrador é transformado em rato por uma bruxa. .

Em Matilda, livro que virou filme como outras obras de Dahl, também há uma bruxa. É a diretora da escola, sra. Taurino (em inglês, Ms. Trunchbull), com um perfil policialesco que vai contrastar com a delicadeza da pequena Matilda: "A sra. Taurino [...] tinha sido uma atleta famosa no passado, e seus músculos ainda se mantinham claramente evidentes. Eles marcavam o pescoço forte, os ombros largos, os braços grossos, os pulsos rijos e as pernas vigorosas. Tinha-se a impressão de que ela era capaz de entortar barras de ferro e rasgar listas telefônicas." Matilda descobre que tem poderes mágicos, poderes que, embora o autor não estabeleça essa ligação, possivelmente nasceram do seu precoce amor à leitura. Ela aprendeu a ler sozinha com três anos, e antes dos sete já havia lido Dickens, Jane Austen, Thomas Hardy, Kipling, Hemingway, John Steinbeck, Graham Greene e George Orwell.
James e o Pêssego Gigante, que também foi para as telas do cinema, possui as suas bruxas: tia Esponja e tia Espiga, que ficaram encarregadas de cuidar de James Henry Trotter, depois que o pobre menino perdeu os dois pais, "devorados (em plena luz do dia, imaginem, e numa rua cheia de gente) por um imenso e feroz rinoceronte que tinha fugido do Jardim Zoológico". As duas tias eram egoístas e malvadas, e espancavam o menino por tudo e por nada, chamando-o de "criatura miserável" e "inseto imundo". Assim que pôde, o menino fugiu e viveu experiências tão malucas que o fato de vivê-las acompanhado por um Minhoco e um Gafanhoto quase passa despercebido.
O sucesso literário de Roald Dahl entre as crianças (mas muitos adultos o lêem também) deve-se à sua coragem estilística de escrever o que lhe vinha à sua imaginação, uma imaginação fantástica que sua avó norueguesa ajudou a desenvolver contando-lhe muitas e muitas histórias. Curiosamente, porém, quando tinha quatorze anos, não era considerado um bom aluno nas aulas de redação. Seu professor escreveu num relatório sobre o futuro escritor: "Nunca vi um rapaz com tantas dificuldades para expressar-se no papel. Ele escreve exatamente o contrário do que tem em mente. Parece-me incapacitado para escrever textos lógicos e coerentes." No entanto, quem disse que os leitores procuramos textos lógicos e coerentes?
x
x
A todos um delicioso inicio de semana,
com muita paz,
harmonia
e
amor na vida de voces!!

Nenhum comentário: